Ao debaterem a segurança em Goiânia, representantes da AMAPAR comentam sobre porte de armas e necessidade de investimentos por parte de TJs

Rômulo Cardoso Quinta, 31 Agosto 2017

Ao debaterem a segurança em Goiânia, representantes da AMAPAR comentam sobre porte de armas e necessidade de investimentos por parte de TJs

Em reunião sediada na Associação dos Magistrados do Estado de Goiás (ASMEGO), na sexta-feira, 25, a Secretaria de Segurança da AMB deliberou por realizar gestão com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o porte de armas para juízes. A entidade ingressou nos últimos dias com ação no STF para garantir o porte irrestrito a todos os membros do Poder Judiciário.


Representante da AMAPAR e também da AMB nas respectivas pastas de segurança, o juiz Márcio Tokars esteve na reunião e ressalta, além da aquisição e registro de armas por magistrados, a atenção das entidades à necessidade de implementar cursos de segurança judiciária, no sentido amplo, aliada à autodefesa. “Difundindo condutas preventivas no âmbito forense e privado, estimulando os tribunais para as respectivas providências orçamentárias. Nesta reunião também foram encaminhadas providências para a defesa de prerrogativas afetas à aquisição e registro de armas”, explica.


Participou ao lado de Tokars no encontro em Goiânia o também integrante do departamento de segurança da AMAPAR, José Orlando Cerqueira Bremer. Uma sugestão pertinente, apontada pelo magistrado à AMAPAR, remete à nomeação dos juízes substitutos, para que mesmo antes da assunção na comarca se submetam a treinamento básico de defesa e manuseio de armas de fogo.


José Orlando também pontua ser de fundamental importância que as comissões permanentes de seguranças dos Tribunais se aperfeiçoem. “Criando fluxos de atendimento aos magistrados sob risco, mediante convênios ou termos de cooperação com outras instituições”, explica. O magistrado ainda lembra que eventuais ameaças devem ser monitoradas pelas respectivas instituições.

 

seg goiania

SEGURANÇA - Márcio Tokars e José Orlando Bremer representaram a AMAPAR em reunião na sede da ASMEGO, em Goiânia

 

INSEGURANÇA DOS FÓRUNS


A sensível questão da segurança de magistrados e jurisdicionados tem sido frequentemente divulgada pela AMAPAR, ao noticiar casos de ameaças, a presença de armas em fóruns e até homicídios em comarcas espalhadas pelo Paraná. A entidade também apresentou vários requerimentos ao TJ-PR, onde o ponto central está em reivindicar a instalação de detectores de metal na entrada dos prédios e outros aparatos de segurança. O último ofício com o pedido da AMAPAR foi protocolado no dia 13 de abril de 2016 e a situação ainda não foi atendida por completo por parte do TJ-PR.

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo

Best World Bookamker williamhill.com reviewbbetting.co.uk