Histórico

 

HISTÓRIA DA ASSOCIAÇÃO DOS MAGISTRADOS DO PARANÁ

 

logo amapar historico

          A Associação dos Magistrados do Paraná, fundada em 11 de agosto de 1957 por um grupo de juízes liderados por Alceste Ribas de Macedo, tem por objeto a união e valorização do magistrado, o estímulo à cultura e o aprimoramento da função judicante, a prestação de auxílio e benefícios, a assistência jurídica e médico-hospitalar aos associados e seus familiares. A instituição desenvolve múltiplas atividades em departamentos, coordenadorias, núcleos e sedes regionais.

          Fundado com nome Associação dos Juízes do Paraná, registrada e regida por estatutos próprios, existiu até 25 de setembro de 1962, quando se transformou, por unanimidade de votos, Associação dos Magistrados do Paraná.

          Em junho de 1962, em reunião extraordinária especialmente convocada, o juiz Alceste Ribas de Macedo pediu afastamento da presidência da Associação em virtude de sua nomeação ao cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná. Fato semelhante já havia ocorrido com o vice-presidente, José Pacheco Júnior. Assumiu então, interinamente a presidência, o juiz de direito Percival Loyola, 2º secretário, que fez significativa saudação ao Des. Alceste Ribas de Macedo, para lembrar o incansável esforço e decidido empenho do colega e exaltar sua reconhecida liderança e capacidade intelectual, ao conduzir por quase cinco anos a entidade, visando sempre prestígio do juiz, o entrosamento e fortalecimento da Família Judiciária Paranaense.

          A alteração estatutária se fazia necessária, e foram designados os magistrados Marçal Justen, Marino Bueno Brandão Braga e Percival Loyola, para a elaboração do projeto. Na assembleia de setembro do mesmo ano, o estatuto apresentado continua fundamental alteração: a extinção da Associação dos Juízes do Paraná, que passava a se chamar Associação dos Magistrados do Paraná, com os mesmos fundamentos e princípios de valorização da Justiça e respeito à função judicante. O juiz Marçal Justen, propôs ainda a nomeação de uma junta governativa até a realização das eleições. Por unanimidade, as duas propostas receberam aprovação.
         

          Foi um período conturbado cheio de controvérsias a respeito da composição e finalidade dos quadros da instituição, impasse contornado apenas com a prevalência do bom-senso e do sentimento associativo da época.

          A junta governativa, integrada pelos magistrados Arthur Heráclio Gomes Filho, presidente, Eurico Pereira de Macedo e Marino Bueno Brandão Braga, secretário e tesoureiro, respectivamente, deferiu as propostas para integrarem o quadro associativo os seguintes desembargadores: Antônio Franco Ferreira da Costa, Lauro Sodré Lopes, Francisco Cunha Pereira, Edmundo Mercer Júnior, Francisco de Paula Xavier Filho, Isidoro João Brzezinski, José Pacheco Junior, Jairo Campos, Segismundo Gradowski, Alceste Ribas de Macedo, Cid Campêlo, James Portugal Macedo e o juiz de direito José Virgílio Castelo Branco Rocha. Em 15 de dezembro do mesmo ano, acorreu a eleição sendo eleito presidente o Des. Segismundo Gradowski.
 

          A Associação dos Magistrados do Paraná, iniciava uma nova etapa, recebendo todos os membros do Poder Judiciário como seus associados.

 por Profº Chloris Elaine Justen de Oliveira

bemapbjudibamb403069308 jusprevlogo

Best World Bookamker williamhill.com reviewbbetting.co.uk